Ei, você aí que quer fazer Letras!

  • 0

Ei, você aí que quer fazer Letras!

Muita gente espera o fim do ano chegar para botar ordem nas metas e objetivos do próximo ano, e isso pode incluir decisões como fazer uma faculdade, o que é ótimo. No mês de janeiro, três pessoas entraram em contato comigo querendo saber o que achei da faculdade de Letras, pois estão pensando em ingressar nessa área e gostariam de ter informações de um conhecido. Então, para não ficar repetindo o mesmo papo, decidi postar aqui um resumão da minha experiência na faculdade. Assim, qualquer pessoa interessada pode acessar essas informações a qualquer hora.
.
Sou licenciada em Letras (inglês) pela Universidade Federal Fluminense, campus doGragoatá. Como a UFF tem quatro ou cinco campus praticamente coladinhos uns nos outros, acho importante mencionar que, se você fizer Letras, vai estudar no Gragoatá (campus lindo, com uma vista espetacular da baía de Guanabara).  Acho ótimo quando vejo alguém interessado em investir nessa área, e eu sou suspeita para falar, porque adoro e não me arrependi! Ah, importante: me formei em 2013. Então, mesmo que meu texto ainda sirva como uma orientação inicial, procure alguém que possa te dar informações mais recentes.
.
Diferentemente dos cursos de bacharelado, o curso de licenciatura em Letras visa formar professores. Isso não quer dizer que você não possa seguir outros caminhos depois da formatura, como eu, que virei tradutora, mas o foco do curso é a formação docente. No meu caso, optei pelo curso de licenciatura com habilitação em inglês. Isto é, com a formação que tenho, posso dar aulas de português e inglês. No curso de licenciatura, você verá basicamente esses três grandes “blocos” de estudo: literatura, linguística ou pedagogia. Veja o que cada um deles pode oferecer:
.
Literatura
Para quem ama ler (como eu!), as aulas de literatura são um prato cheio. Você vai estudar as principais obras literárias e vertentes históricas do Brasil e, se optar por um curso de língua estrangeira, também estudará as obras do país escolhido. No meu caso, como escolhi inglês, li muito sobre os movimentos literários nos EUA e na Inglaterra.
.
É um curso maravilhoso para quem gosta de história, pois os aspectos históricos têm grande influência na escrita de cada época. Estudar literatura habilita a dar aulas sobre o assunto e, se você não tem interesse em lecionar, é possível trabalhar com pesquisas. Para isso, converse com os professores e procure integrar os grupos de estudo da própria faculdade. Envolva-se nas aulas, pergunte, discuta, questione e faça seu interesse ser notado. Conheço muita gente que fez isso e hoje trabalha em ótimas pesquisas universitárias.
.
Linguística
Em resumo, a linguística consiste no estudo do funcionamento das línguas. Mais uma vez, se você escolher um curso de um idioma estrangeiro, estudará português e o idioma escolhido. Nesse ramo da faculdade de Letras, você vai ver muita gramática, ortografia, semântica, sintaxe, morfologia, fonética… Ou seja, trata-se do estudo de todos os aspectos formais do funcionamento da língua.
.
A parte que mais gostei de linguística foi estudar as variantes do português no Brasil, quando fizemos análises muito interessantes dos sotaques, regionalismos e características de cada estado. Fiquei maravilhada também com uma matéria muito legal de morfologia, sobre a composição das palavras do latim ao português. Gostei demais. Nessa área, a melhor opção para quem não quer dar aula também é investir em pesquisas.
 .
Pedagogia
Finalmente, o ramo de estudo preferido de quem pretende dar aulas (não foi o meu caso rsrsrsrs). Apesar de não ter curtido tanto as aulas de pedagogia, já que minha intenção não era lecionar, não posso negar que achei as aulas bastante úteis. Nessas matérias, o aluno aprende a elaborar projetos educacionais a serem aplicados em sala, além de ver uma perspectiva histórica da educação no Brasil (e no país estrangeiro, caso você escolha um idioma estrangeiro).
.
Além disso, é essa área que exige ao aluno uma determinada carga horária de estágio (desculpem, esqueci a carga horária exata 🙁 ). Isto é, além da teoria explicada nas salas de aula da faculdade, você terá uma oportunidade de colocar a mão na massa em uma situação real de sala de aula.
———————–
.
Não sei como são as outras faculdades, mas a UFF todo ano oferece algum tipo de evento de Letras. Eles sempre organizam palestras, apresentações, exposições, simpósios, feiras de troca de livros e muito mais. Aos interessados, recomendo dar umas voltinhas pelocampus do Gragoatá (blocos B, C e D) para conhecer o ambiente e até mesmo ler os cartazes espalhados, que sempre trazem informações muito úteis sobre tudo.
.
Curiosamente, minha área de atuação não é um dos fortes da UFF (ainda!). Hoje trabalho como tradutora em uma empresa de localização de software, e a UFF não oferece muitos cursos de tradução. Se não me engano, os poucos têm foco em tradução literária, apenas. Ainda assim, tive professores excelentes que contribuíram muito para o meu desenvolvimento como profissional de tradução, e aproveitei muito conteúdo relevante.
.
Então, se você gosta de ler e escrever, se tem vontade de desenvolver o que já sabe sobre língua portuguesa ou algum outro idioma, se gosta de história e viaja com os grandes clássicos da literatura brasileira, aposto que você vai se sentir em casa fazendo Letras. Acesse o site da UFF, entre em contato com professores, pergunte a opinião de colegas que estudam ou já estudaram lá e seja bem-vindo! 🙂

Leave a Reply

Ad