Category Archives: Ferramentas

  • 1

Tradutor e CAT Tool: uma relação de responsabilidade e equilíbrio

As ferramentas de localização podem ser incríveis, apesar de seus pesares e bugs. Elas facilitam o trabalho, ajudam a manter a consistência da terminologia, melhoram a produtividade e, em última análise, ajudam você a fidelizar mais clientes. Por outro lado, tem algo que elas nunca vão fazer por você: assumir a responsabilidade pela qualidade final do seu texto.

Isso mesmo. A ferramenta ajuda, mas o responsável pela qualidade do trabalho é sempre o tradutor e a importância que ele dedica à tradução. Muitos dos melhores tradutores que já conheci ou com quem trabalhei não sabiam usar ferramentas porque optaram por trabalhar com foco única e exclusivamente no texto, e harmonizar a capacidade de tradução e o uso de tecnologias nem sempre é um exercício simples.

Isso significa que os melhores tradutores são aqueles que não usam as ferramentas de tradução? De jeito nenhum. Muitos gerentes e agências deixam de trabalhar com um tradutor por ele não ter a ferramenta, e infelizmente não se pode fugir desse requisito em certos projetos. Há casos em que uma determinada CAT Tool de uma versão específica precisa ser usada, então saber usar bem uma ferramenta é muito importante (praticamente essencial, dependendo da sua área de atuação).

Aliás, um movimento contrário também acontece: convivi com bons localizers que estavam tão preocupados em aumentar a produtividade e aprender a usar cada recurso da ferramenta que acabavam negligenciando o texto. Quando o aproveitamento da memória e os aspectos puramente mecânicos do trabalho falam mais alto do que a importância que se dá ao texto, a qualidade do arquivo final acaba sofrendo as consequências.

Nesses casos, equilíbrio é a palavra de ordem. O que não pode acontecer é o tradutor dedicar toda a atenção à ferramenta, confiando cegamente em seus recursos funcionais. Por melhor que seja a sua CAT Tool, você não pode achar que o F7 vai pegar todos os seus erros ortográficos, que a TM vai sempre propor as melhores traduções, que o glossário vai garantir a consistência, que os atalhos vão fazer a inclusão correta das tags no texto… É claro que tudo isso ajuda (e muito), mas não acredite que é o bastante para fazer um ótimo trabalho. Uma ferramenta só vai trabalhar bem se você souber assumir o controle dela.

Aprenda a usar as CAT Tools. Elas vão ajudar com a produtividade e, se devidamente configuradas, vão dar uma mãozinha com alguns problemas mais comuns, mas saiba que a qualidade final do trabalho é inteiramente de responsabilidade sua. Dedique um tempo ao texto, faça as verificações de praxe (a Mitsue já falou sobre isso), estude mais e seja o melhor tradutor que você pode ser. Por mais que estejamos vivendo um momento tão intenso de avanço das tecnologias de tradução, nenhuma CAT Tool jamais vai isentar o tradutor da responsabilidade pelo próprio aprimoramento pessoal.

Publicado por: Bruno Fontes


  • 4

Gerenciamento da área de transferência‏

Já pensou em copiar várias informações de uma só vez e depois colar tudo no programa que você quiser, sem ter que ficar usando Alt+Tab o tempo todo? Pois bem, é exatamente essa a função dos gerenciadores de área de transferência. De quebra, eles ainda ajudam muito quando você copia uma informação e acaba copiando outra por cima sem querer. Aliás, essas ferramentas são praticamente indispensáveis para quem trabalha com muitos logins, senhas, caminhos e nomes de arquivos, copiando e colando de um lado a outro.

Se você quer um aplicativo simples, prático e gratuito, nossa melhor recomendação é o ClipX. Para baixá-lo, clique aqui. A versão é a mesma desde 2005, mas ele ainda funciona perfeitamente, inclusive em PCs Windows 7. Além do mais, como é uma ferramenta antiga e simples, o ClipX acaba tendo a vantagem de ser muito leve. Depois de instalado e executado, clique com o botão direito no ícone do ClipX ao lado do relógio do Windows e depois em Configure. Na tela General, deixe marcada a opção Run ClipX at Startup.

Na tela Hotkeys você pode escolher os atalhos de teclado para cada uma das opções. No TransMit, preferimos deixar apenas o atalho da opção Secondary Paste (Ctrl+Shift+V); se você quiser remover os outros atalhos, basta clicar em cada um deles e pressionar Backspace. Há outras opções personalizáveis nas configurações, e você pode ficar à vontade para alterá-las conforme sua preferência. Quando concluir, basta pressionar OK e começar a usar.

Agora vem a melhor parte: selecione e copie vários itens que você quiser, vá até onde precisa colar e pressione Ctrl+Shift+V. O ClipX vai mostrar uma lista com todos os itens que você copiou recentemente, e você só precisa clicar ou selecionar (com as setas do teclado) o item que deseja colar. Depois de escolher, pressione Enter. Voilà!

Dica: ao abrir a lista de itens para colar, o programa em que você está perde o foco momentaneamente. Isso não costuma ser problema, a menos que você esteja renomeando um arquivo, editando uma célula no Excel ou trabalhando em algum outro campo que deixe de ficar editável se o programa perder o foco. Se esse é o seu caso, basta seguir o procedimento normal (Ctrl+Shift+V), escolher o item a ser colado e pressionar Enter. A princípio nada vai acontecer, mas você pode mandar renomear o arquivo ou editar a célula novamente e colar o item usando o Ctrl+V.

 

Se quiser algo mais complexo…

Você pode dar uma olhada neste programa ou fazer uma pesquisa pelo termo “clipboard manager”. Há várias opções para todos os gostos, e certamente você vai encontrar a ferramenta ideal para o seu trabalho 😉

 
Bruno F. Fontes.


  • 0

O que é e como usar o FTP?

FTP é um protocolo de transferên… ZzzzZzzzZZZz. Ok, vamos ser práticos e diretos: o FTP é a principal forma de enviar ou receber arquivos usada pelas empresas. Ele é simples, seguro, não há problema de confidencialidade e não há exatamente um limite de tamanho ou de tempo que o conteúdo pode ficar lá. Você pode nunca ter precisado, mas provavelmente um dia vai usar. Então decidimos explicar onde baixar e como instalar, configurar e utilizar.

Para transferir arquivos por FTP, você vai precisar de:

  • Um programa de FTP (basicamente qualquer um funciona, há milhares por aí);
  • O nome do servidor, login, senha e qualquer configuração específica do FTP da empresa;
  • Este tutorial.

 

Onde baixar um programa de FTP:

Se você não faz ideia de por onde começar, recomendamos o FileZilla. Pode não ser o melhor programa, mas ele é gratuito e tranquilo de usar. Para baixar, acesse o site: https://filezilla-project.org/download.php

Hoje, enquanto escrevemos este tutorial, a versão disponível é a 3.16.0. As versões atuais pedem para ser instaladas no Windows Vista ou superior. A instalação é simples e direta. No fim, ele vai perguntar se você quer abrir o programa. Pode abrir direto!

 

Como configurar e utilizar

Chegou a hora de copiar e colar informações. Aqui tudo é bem direto: você precisa pegar os dados que o cliente enviou e colocar no programa. O ideal é salvar essas informações para não ter que ficar copiando e colando tudo sempre que usar. No caso do FileZilla, basta ir até Arquivo -> Gerenciador de Sites. Se você clicar na seta para baixo, ele vai listar os servidores já cadastrados para agilizar sua conexão.

Como estamos adicionando um novo FTP, clique no botão Novo Site, e o campo para inserir a descrição deste novo FTP já vai ficar editável. Você pode digitar o nome do cliente ou da conta, tente pensar em algo que seja fácil de identificar depois.

 

Agora é a hora do copy and paste

Host: o endereço do FTP. Geralmente é formado por ftp.sitedaempresa.com.br, mas não necessariamente. O cliente precisa enviar essa informação. Após informar o host, mude o Tipo de logon para normal. Com isso, os campos usuário e senha vão ficar editáveis.

  • Usuário: informe o nome de usuário recebido
  • Senha: informe a senha recebida

Se você recebeu apenas isso do cliente, o FTP está configurado e pronto para uso: basta clicar em Conectar. No entanto, lembre-se de que todas as configurações dessa tela podem ser alteradas em alguns casos, se o cliente enviar configurações específicas, como porta, criptografia, protocolo ou mesmo outras opções das abas Avançado, Configurações de transferência e Mapa de caracteres.

Por acaso, se o FTP reclamar de Certificado desconhecido, não se preocupe; basta clicar em OK ou marcar a opção de sempre confiar naquele certificado. Fazendo isso, você não precisa clicar em OK todas as vezes que acessar.

 

Como usar o programa de FTP

Essa é a parte mais fácil, pois ele funciona praticamente como uma janela do seu Windows Explorer. Você navega entre as pastas e copia arquivos arrastando do FTP para o computador ou vice-versa. Só tenha cuidado para não apagar arquivos do servidor do cliente, pois ele pode ficar não muito feliz…

Por padrão, o lado esquerdo do FileZilla mostra os arquivos no seu computador, e o lado direito mostra os arquivos no FTP (Endereço remoto). Navegue até a pasta que você precisa e copie clicando e arrastando de um lado para o outro (do seu computador para o FTP ou vice-versa). Não se preocupe: fazendo isso, os arquivos serão copiados, e não movidos. A janela inferior de Arquivos na fila vai mostrar as transferências em andamento.

Terminada a transferência, é bom verificar se o tamanho dos arquivos (do servidor e do seu computador) é o mesmo, principalmente se você estiver enviando. Essa verificação rápida não é a ideal, mas geralmente é o bastante para evitar a transferência de arquivos corrompidos. Se o tamanho não for o mesmo após o upload completo, apague os arquivos e envie novamente.

 
Bruno F. Fontes.


Ad